domingo, 4 de novembro de 2007

Perdas de mandato: não há coincidências?

Segundo o Garajau o director regional das florestas, Rocha da Silva, não entrega a declaração obrigatória de património desde 1996. Bom, ao que parece não foi um esquecimento, foi, ao que parece, não entrega deliberada. O Tribunal Constitucional já sabe. Não sei se só ao fim de 11 anos...Tudo certo neste "reino de cumplicidades". Mais. O processo de perda de mandato do Senhor vereador Artur Andrade, também foi arquivado, confirmou o DN Madeira na sua edição de ontem. Resta ainda saber se haverá o "natural" recurso do Ministério Público. Tudo certo neste "reino de cumplicidades"

2 comentários:

Alexandro Pestana disse...

Essa é a realidade da palhaçada que temos na justiça na Madeira. Faz-se a folha à oposição, e os outros meninos são protegidos.

Anónimo disse...

«Parece... parece...». Não basta.

O homem nem tem um mandato, mas sim uma nomeação em comissão de serviço, como é sabido.