quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Haverá debate?


A discussão do ORAM é um tema fundamental para que os cidadãos conheçam as diferentes opções políticas, dos diferentes partidos. É um momento único onde a imprensa, num regime democrático, sem opressão, aproveita para concentrar atenções e opiniões no que separa uns dos outros. Sei que não vai acontecer mas volto a perguntar, como já o fiz noutras matérias: o que está à espera a RTP e a RDP para preparar debates alargados e discussões sobre a proposta de ORAM para 2008? Pelos vistos, a direcção da RTP e RDP gosta de confirmar, de forma grosseira e até provocadora, o que tenho dito publicamente. É lamentável e desolador. Ainda há pessoas que nem brio profissional conseguem garantir. Podiam disfarçar, actuar cinicamente. Mas não, já nem isso são capazes de fazer.

Penso que já repararam que estou-me nas tintas de não aparecer na televisão. Não tenho nenhum complexo e entendo que qualquer black out que me queiram ameaçar não terá qualquer efeito na forma directa como expressarei sempre a minha opinião. Não me incomoda. Vivo serenamente com essa crueldade quase bacoca. O que me perturba é o contributo do serviço público de televisão e rádio para este regime perverso comandado por AJJ, Jaime Ramos e companhia...

2 comentários:

Anónimo disse...

O sr. Leonel tem os dias contados na RTP-M, com a entrada em funções da nova administração. Como os seus antecessores Carlos Fernanades e Afonso Almeida, além de receber uma indmenização será nomeado conselheiro técnico do secretário regional Brazão de Castro. É assim que o sr Jardim da Quinta Vigia compensa os seus fiéis servidores.

Alexandro Pestana disse...

É como eu digo... os mass media da Madeira estão todos infectados com o virus pê-pê-deia. Se não compram os donos dos meios, compram os jornalistas e a notícia sai muitas vezes "castrada", fora de tempo útil e/ou com muitas omissões. Já tive oportunidade de enviar emails a alguns jornalistas e directores de alguns mass media na Madeira pois tenho visto inúmeros artigos que são verdadeiros abortos jornalísticos. É a cuba que temos na Madeira... C'est la vie.. lol