sexta-feira, 26 de outubro de 2007

A "teoria do cobertor"

Ouvi, por várias vezes, alguém dizer na inauguração do Funchal Centrum que este empreendimento e, sobretudo, o Centro Comercial seria uma ancora para o comércio tradicional. Na verdade é possível dizer o que se quiser. Aliás até pode ser que numa estratégia adequada possa ser possível garantir que um empreendimento que adiciona mais 70 concorrentes na cidade do Funchal ( mantendo o mesmo nº de compradores) possa vir a ser útil para o comércio em contexto urbano. Contudo, sejamos realistas, "ceteris paribus" (i.e.,mantendo tudo constante, como acontecerá tendo presente a passividade da CMF e do Governo nesta matéria) é uma "enormidade" sem precedentes afirmar tal coisa. Aliás o Governo Regional através da ADRAM encomendou, em 2005, um estudo sobre o comércio. Está lá tudo o que deve ser feito. É óbvio que nada aconteceu e posso garantir que nas ancoras que os consultores do referido estudo sugeriram para dinamizar o comércio no Funchal, não estava nenhum centro comercial de 70 lojas.
Mas o que diz a ACIF sobre esta matéria? Foi mais um rombo na sociedade civil: desapareceu do mapa, passou a fazer parte de uma voz de comando que não governa, hostiliza quem dá opinião.

1 comentário:

Alexandro Pestana disse...

Neste mundo quem tém $$$ é que brinca! O dinheiro fala mais alto... Com aquele centro comercial vão entrar mais dinheiros de licenças e etc etc na câmara e no G.R., pra eles, o pequeno comerciante não conta porque são os que tem menos voz activa.