segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Bronca

O que se passou na Associação de Promoção é um sintoma do estado do turismo na Madeira e, sobretudo, da situação do movimento associativo. Contudo, é preciso sublinhar o seguinte: os empresários que se opuseram a Francisco Santos foram os mesmos que o elegeram; Francisco Santos é, já o disse várias vezes, um indefectível do PSD e, por essa via, defenderá sempre os interesses partidários e depois os empresariais; a proposta em cima da mesa é "estranha" mas não surpreendente facer à ausência de estratégia do Governo Regional, porque estamos perante um apoio que em nada é diferente dos subsidios aos operadores, isto é, em termos práticos a Madeira deixou de pagar aos operadores para pagar às companhias aéreas, saímos de uma dependência para outra; Francisco Santos, em nome do Governo Regional, quis colocar os privados a pagar este esforço, em detrimento do Governo, por isso não fez o seu papel de dirigente associativo.
Voltarei a este assunto mais tarde.

1 comentário:

Alexandro Pestana disse...

O sector do turismo está perdido e completamente desorientado na Madeira e é graças as burrisses da SRT e da associação de promoção da Madeira. É uma estupidez ver tanta fragmentação na promoção turística da Madeira. Como se explica que hajam associações comerciais em diversos pontos da ilha a promoverem 1 ou 3 concelhos como a ACIN (associação de comercio e industria(ca dela?) do Norte da Madeira), presidida por um empresário do ramo hoteleiro de são vicente e hospedeiro oficial do pe-pe-deia, com dinheiros das autarquias para promover(?) o turismo (nos seus hoteis) no lugar de ser exclusivamente a Associação de promoção da Madeira a fazer esse papel global de promover não só os hoteis grandes mas também o turismo rural!??. Para uma região onde o turismo é extremamente importante, é muito grave a palhaçada que se vive actualmente na promoção turística e comercial de toda a ilha. Resumindo e concluindo... As ACIFs e ACINs e o diabo a 4 só servem para arranjar tachos a PSDs e arder dinheiros do erário público e mais nada! Depois a AMRAM tem de andar a pensar em jogadas para meter ainda mais a mão no bolso dos munícipes para compensar estas mamices!.

É preciso estarmos atentos a estas coisas estúpidas!