sábado, 12 de julho de 2008

Parabéns Expomadeira

A Expomadeira já vai na 25ª edição. Este evento, que tive a honra de organizar seis edições (1999-2005), é um caso de sucesso sem precedentes. Parabéns e todos os sucessos para as empresas que expõem e respectiva organização.

2 comentários:

Carlos Crança disse...

Este seu post é justamente a antítese do ponto que eu queria fazer passar com o seguinte comentário. é com bom grado que vejo que alguém finalmente está a abrir os olhos para as armadilhas políticas que o PSD-M utiliza nas épocas eleitorais. Pode ser que assim ainda tenhamos hipótese de derrotá-los em determinados concelhos "chave".

De qualquer maneira aqui vai o comentário que ando a espalhar pela blogosfera:

O Partido Socialista e a Política Negativa.
O Caminho ou um Obituário Político?

Se neste exacto momento fosse feita uma sondagem de opinião ao Povo Madeirense na qual figurasse a questão de como caracterizaria a Oposição Política Regional facilmente nos depararíamos com adjectivos como “invejosos”, “medíocres”, “movidos a ódio”, “sedentos de tachos”, “incompetentes”, “apologistas do bota-abaixo”, “sem alternativas”, “sem soluções”, “caluniadores”, etc…
Apesar de alguns destes rótulos serem notoriamente injustos, se nesta altura do campeonato os destinatários desta missiva ainda se revelam incapazes de despertar do seu torpor partidário, para reconhecer a veracidade e validade de muitas destas percepções então sugiro que os visados repensem seriamente a sua Carreira na Política.
Portanto como é que chegamos a este ponto? Como é que passamos de Defensores da Liberdade, da Democracia e da Madeira para um bando de “más-línguas” que se entretêm a apontar tudo o que vai mal no “Paraíso”?
A resposta vem em três partes:
A primeira é extremamente simples. A verdade é que, de facto, a noção de alternativa política adoptada pela oposição é cada vez mais pautada pela Negativa do que pela Positiva, pela Falta de Ideias do que pela presença delas. Aposta-se cada vez mais em salientar a corrupção, as “negociatas”, a troca de “tachos”, os investimentos fracassados e os defeitos dos governantes. Raramente se ouve da boca da oposição que alguma coisa correu bem. Tudo corre mal, o que não é de todo verdade. Eu não estou a dizer que escândalos como os que acabei de referir devam ser esquecidos, ou branqueados por algumas excepções positivas. Isso seria cumplicidade criminosa. O que eu quero dizer é que para responder aos anseios do Povo por uma Alternativa, por um Novo tipo de Política, Competente, Unificante, pautada pela Positiva e pela Verdade não nos podemos dar ao luxo de ter esta dualidade de critérios. As coisas são como são e é preciso ter a grandeza de espírito para ascender acima das barreiras partidárias e reconhecer ao adversário o mérito onde ele é devido ou para apresentar soluções viáveis e não críticas gratuitas nas áreas onde este falha. É esta Autenticidade, Competência e Compromisso com o Progresso que, ao Sacrificar Barricadas Políticas para o Bem de todo um Povo é reconhecido pelo eleitorado como Digno do seu voto.
A segunda prende-se com a manifesta ineficácia, até à data, por parte do Partido Socialista em divulgar as suas inúmeras soluções para resolver os problemas da Madeira. Afinal estas existem e são muitas, pelo menos o dobro das apresentadas pelo Governo, mas o povo simplesmente desconhece a sua existência. Como tal em termos políticos são inertes, predominando aos olhos do eleitorado a imagem “do contra” do partido.
A terceira e última tem a ver com o facto de, nesta como em qualquer outra matéria, a máquina de propaganda Laranja já se ter apercebido da vulnerabilidade da oposição neste ponto. Eles não só reforçam activamente a noção dos políticos da oposição como do “bota abaixo”, boicotando e censurando todas as suas iniciativas políticas positivas, espicaçam-nos até ao ponto de, quase como se tratasse de uma resposta reflexa, estes serem obrigados a adoptar uma atitude sarcástica e rancorosa que, ao transbordar para a sua forma de fazer política a torna tendencialmente negativa.
Mas porque é que tudo isto é importante? Simples, um politico rotulado como negativista é um político que não tem credibilidade, que ninguém está disposto a ouvir. É um indivíduo que toda a gente pressupõe que da sua boca só saem mentiras que é movido a ódio e a inveja. Isto não só enfraquece a sua Mensagem Político como acrescenta credibilidade à do ao opositor que se vê numa posição em que pode mentir à vontade. Pior as suas mentiras começam a passar por verdades absolutas. Este é o perigo da Política Negativa.
O que nós precisamos é de um tipo de Política que não se foque em Arrasar o Adversário mas em Desenvolver a nossa Região.

BaBy_BoY_sWiM disse...

Tenho saudades quando era na HBG, as empresas tinham coisas mais interessantes, acho que a Expo Madeira está a perder algumas qualidades devido às várias feiras que existe ao longo do ano!

Mas é sem dúvida que a feira está sempre de parabéns por ser a maior ajuntamento de empresas que actuam na Madeira dando a conhecer os seus produtos e serviços aos madeirenses...