segunda-feira, 17 de setembro de 2007

é preciso saber o que se diz...

Lamento discordar de quem acha que as propostas para a governação são essenciais para ganhar eleições na Madeira. Nada mais absurdo: AJJ ganha eleições sem programa, Albuquerque vence há anos com um álbum de fotografias; nas últimas eleições não se conhece uma única proposta feita pelos actuais vereadores do PSD na CMF. Pelo contrário, o PS tem um programa eleitoral que está disponível para quem quiser entender as propostas socialistas e a última campanha à autarquia do Funchal teve da parte do PS um conjunto significativo de propostas estruturantes para a cidade...
Outros factores contribuem para a permanência do PSD no poder: são variáveis estruturantes que condicionam a democracia na Madeira. A seu tempo abordarei este assunto neste blogue.

6 comentários:

Luis disse...

Pode até existir um programa e até propostas, mas o Povo não as conhece.

Será que o Sr. Vereador acha que o grosso dos Funchalenses e dos madeirenses em geral vão a NET?

Paulo Barata disse...

Eu lembro-me da única promessa do PSD: "Vamos colocar azulejos nos túneis do Funchal. Vai ser espectacular!"

Até nisso mentiram.

Carlos J. Pereira disse...

Caro Luís, existe um programa e, devo dizer que sei do que falo e, ainda por cima, um bom programa. Também sei que os madeirenses, em geral, não vão à net, pelo que este é um canal de "nível fraco" para passar a informação sobre programas e propostas. Contudo, deixe que lhe diga, como provavelmente sabe, que a divulgação dos programas políticos passa sobretudo pela discussão das propostas, por colocar em confronto as diferentes ideias e soluções. Ora, nesta matéria a imprensa e a sociedade civil tem uma responsabilidade significativa. Pergunto objectivamente: quantos debates foram organizados na RTP e RDP aquando a campanha autárquica? e destes em quantos participou Miguel Albuquerque? Além disso, quem teve coragem de fazer publicamente o confronto dos projectos propostos? Que imprensa questionou os candidatos e procurou encontrar contradições, pontos fracos e pontos fortes. Como? Convidando opion makers independentes, por exemplo ou confrontando a sociedade civil. Dir-me-á que isso não existe... Pois não, é por isso que o problema não está nas propostas, está antes no conjuntos de questões estruturais que impedem que estejamos todos ao mesmo nível, com a mesma situação de partida...Como disse voltarei a este assunto mas, entretanto, pergunto-lhe, o que propôs o PSD para a reforma da adminstração autárquica, contribuindo para evitar e controlar a "tal forminga branca que Raimundo Quintal fala mas nada fez quando lá esteve... Nada. Nós apresentamos mais de 10 medidas concretas... O que propôs o PSD para as zonas altas. Nada. Nós propusemos projectos concretos assentes numa estratégia inovadora... O que propôs o PSD para a melhoria de vida nos bairros sociais. Nada. Nós apresentamso medidas urgentes para implementação rápida e medidas de longo prazo orientando estes para uma sustentabilidade social hoje inexistente...Enfim poderia continuar mas penso que fui esclarecedor... Antes de terminar deixe-me dar-lhe um exemplo: nas mais recentes eleições nas Canárias o candidato do PSOE, um ex-ministro da saúde do governo actual, apresentou um programa que era um quase plágio do programa da Catalunha ( se não me engano). A imprensa detectou este escândalo e o PSOE que iniciou a campanha com mais de 50% de expectativa de votos perdeu quase 20% das intenções. Sabe porquê? porque a sociedade civil não perdoou e a imprensa fez o seu trabalho. Na Madeira AJJ gabou-se de ir pra umas eleições sem programa. O que aconteceu? Nada.
Também sabe concerteza que um governo europeu foi obrigado a demitir-se porque mentiu aos eleitores na altura de campanha...Diga sinceramente se acha que isto aconteceria alguma vez na Madeira????

Anónimo disse...

Dr. Carlos Pereira na verdade todos os Partidos inclusive o PPD apresentam programas e manifestos eleitorais, que quase passam ao lado das pessoas.

Tudo aquilo que disse sobre o debate de propostas, de comparação até das mesmas é tudo verdade e concordo consigo, mas o sr. e o seu partido esquecem que estão na Madeira e aqui tudo é diferente.

Aposto que o programa e as propostas do PS são tão boas como as do Bloco e da CDU e se calhar do PP ou de um outro partido, acredito. Não é por aí.

O que o madeirense quer é saber se o presidente da câmara ou de freguesia A ou B vai dar a telha ou o saco de cimento, o se vai facilitar fazer o quartinho de banho ou a cozinha. Não quer saber se o PS ou o PP ou BE ou a CDU tem propostas melhores ou não. Se eles fazem não vale a pena mudar. O madeirense não gosta de mudanças.

Luis

rio disse...

o bota-abaixo e a maledicencia tambem não ganham eleições.

CEKRETU disse...

O Sr. Alberto João Jardim é ainda um "balão" do PSD-Madeira e uma espécie de fiador de qualquer "totó" que se apresente a quaisquer eleições...O seu "estilo", quer se goste ou não, ainda vende...
Albuquerque chegou à Câmara do Funchal "à boleia" de Virgílio Pereira (pai do seu actual vice Bruno Pereira). O actual edil funchalense nada conquistou, e como os demais eleitos "à pala" de Jardim, não precisa de se esforçar para ganhar eleições. Exemplo mais demonstrativo disso, é o elenco de vereadores de 2ª e 3ª linha com que se rodeou, após uma legislatura plena em irregularidades e negociatas. Oxalá constituam aviso para os novatos que lá estão.