quinta-feira, 29 de outubro de 2009

LFR...

O que se assistiu hoje na ALRAM com a aprovação global da LFR foi um espectáculo deprimente onde, em nenhuma altura, esteve presente os interesses dos madeirenses mas sempre as manifestações quase simplórias de interesse eleitoral. Esta revisão da lei teve comportamentos de zigue zague político inadmissíveis, a começar pelo PS Madeira, mas a atingir igualmente o PSD que demorou apenas 48 horas para alterar questões essenciais da sua própria proposta, demonstrando a todos que não sabe o que quer e que a sua revisão era infeliz.. Esta proposta de revisão da lei, sublinho, é uma má proposta para os madeirenses. Mais, esta proposta partiu de um pressuposto errado e insustentado de que a lei em vigor penalizou excessivamente a Madeira. Ainda mais. Esta revisão deitou para debaixo do tapete a seriedade técnica colocando em causa uma discussão credível e proveitosa. Esta proposta do PSD e as sugestões entretanto introduzidas compõem uma manta de retalhos que, num parlamento credível, dificilmente chega a "bom Porto". Sublinho, mais uma vez, que defendo todas as transferências financeiras a que temos direito e ainda mais. Mas quero um enquadramento adequado, lógico e defensável que defenda a Madeira, os madeirenses e a autonomia, com responsabilidade. A forma como toda esta paródia foi conduzida por quase todos não demonstra nada disso e reflecte um grau zero da política na defesa dos interesses das populações.

1 comentário:

José Luís disse...

Srº Carlos Pereira.
Há um ditado muito antigo que diz "não vale a pena gastar água e sabão a lavar a cabeça a burros" e aplica-se perfeitamente áquilo a que se vive nesta "nossa" assembleia regional e que o seu artigo bem esplana.Realmente como realça "a forma como todo esta paródia foi conduzida" ilustra a tristeza do nosso parlamento que custa os "olhos da cara" ao erário público sem que traga melhoras á qualidade de vida das nossas gentes.Lamentável ainda é o PS ir atrás de todo este regabofe.Não se deixe esmurecer e continue a luta.Cumprimentos.